Adaf adia 2ª etapa da campanha Amazonas Sem Febre Aftosa em 41 municípios

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) informa aos produtores dos 41 municípios do Amazonas onde a imunização ainda é obrigatória, que a segunda etapa da campanha Amazonas Sem Febre Aftosa ocorrerá no período de 1º de agosto a 14 de setembro. Nesta fase da campanha, os criadores deverão imunizar bovinos e bubalinos na faixa etária de até 24 meses e realizar, até o dia 29 de setembro, a notificação junto ao escritório da Adaf onde a propriedade está cadastrada.

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa contempla as cidades de: Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Autazes, Barreirinha, Benjamin Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Fonte Boa, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maraã, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Parintins, Rio Preto da Eva, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini, Urucará e Urucurituba.

O início da segunda etapa da campanha, que começaria em 1º de julho, teve que ser adiado para o mês de agosto, por conta das prorrogações na primeira etapa em face da cheia dos rios.

A vacinação é uma das estratégias do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para garantir o status desses municípios como zona livre de febre aftosa com vacinação, enquanto a imunização não é suspensa. Modelo já é praticado no Bloco 1 (Apuí, Boca do Acre, Canutama, Eirunepé, Envira, Guajará, Humaitá, Itamarati, Ipixuna, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini e parte do município de Tapauá).

A expectativa é que 532.680 bovídeos recebam a vacina, no período de 1º de agosto a 14 de setembro. O imunizante pode ser adquirido junto ao Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) ou nas casas agropecuárias cadastradas junto à Adaf.

A médica veterinária e coordenadora estadual do Pnefa, Joelma Silva, reforça a importância de os criadores imunizarem seus animais para garantirem a sanidade do rebanho e evitarem a aplicação de multas. “Quem não vacinar seu gado estará sujeito a multa de R$ 40 por animal, mais R$ 300 por propriedade. Todos os produtores precisam fazer a vacinação dentro do prazo e notificar até o dia 29 de setembro os escritórios da Adaf”, reforçou.
A manutenção dos índices vacinais satisfatórios, ou seja, acima de 90%, segue as diretrizes do Pnefa e consiste em um pré-requisito para que haja a suspensão da vacina em todo o Estado e a substituição da imunização por ações de vigilância efetivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *