O poder da apuração

No banco de faculdade aprendemos que um bom jornalista sempre tem que fazer uma boa apuração e ouvir todos o lados da história. Mas a busca pelo imediatismo e furos, o que se vê hoje são matérias publicadas sem a devida apuração o que prejudica muitas pessoas.

Recentemente, o Senado Federal aprovou o Projeto de Lei das Fake News, com a intenção de evitar notícias falsas que possam causar danos individuais ou coletivos, e que divide muitas opiniões. As novas regras se aplicam às redes sociais e aos aplicativos de mensagem que tenham pelo menos dois milhões de usuários.

O Projeto não deixa de ser polêmico, pois muitos o consideram uma forma de censura, mas se formos parar para analisar, a nova regra vai proporcionar algo que nós jornalistas, deveríamos fazer sem a necessidade da criação de uma lei, apurar o fato, ouvir todos os lados e então publicá-la, o que não é feito, infelizmente.

A avanço da internet, que exige a publicação da notícia imediata, pressiona os jornalistas a serem cada vez mais rápidos e por isso a apuração falha, deixando os envolvidos no fato em uma grande saia justa. Em outros momentos, essas reportagens são tedenciosas induzindo a população a um julgamento errado sobre algo ou alguém.

Situações como essa, mancham a categoria dos jornalistas que tanto contribuem para levar a informação sem ruídos e de forma transparente. Profissionais que tanto lutam por uma sociedade justa usando a notícia como principal arma de combate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *